C.·.B.·.C.·.S.·.

O C.·.B.·.C.·.S.·. é o ramo de Cavalaria da Tradição Martinista, onde a condição de Cavaleiro intercepta com a Doutrina Martinista.

CBCS-Seal-orc

O objetivo do C.’.B.’.C.’.S.’. é capacitar aos Cavaleiros para que possam seguir a Imitação de Cristo, e adotem uma vida de cavalaria moral como base de toda realização espiritual. Somando-se ao trabalho pessoal de reconstruir o que uma vez foi perdido, o trabalho dos Cavaleiros e Damas da Ordem é manifestar os ensinamentos de caridade do Martinismo dentro do mundo, através da beneficência e das ações altruísticas.

O C.’.B.’.C.’.S.’. é em consequência, o ramo de Cavalaria da Tradição Martinista: Os Cavaleiros Pobres de Cristo.

O Criador original do CBCS, foi Jean Baptiste Willermoz (1730 – 1824), amigo próximo e discípulo de Martinez de Pasqually:

Quando Pasqually faleceu em 1774, os ensinamentos de seu Mestre corria o risco de perder-se e Willermoz decidiu em consequência utilizar um “corpo Maçônico”  como veículo para os ensinamentos internos e secretos da Ordem dos Elús-Cohen.

Willermoz era uma pessoa pragmática, um erudito e inovador esotérico brilhante.

Seu trabalho como Franco Maçom foi de um impacto e erudição fundamentais ,porém tristemente foi esquecido ao longo dos séculos. Porém a história o apresenta como um ardente Cavaleiro da Verdade, lutando por retificar a decadência das sociedades secretas e a falta do sincero desejo , dentro das mesmas para alcançar a iluminação.

Se lhe atribui o crédito não só de assegurar a sobrevivência  do Martinismo através  do C.’.B.’.C.’.S.’. mas também é o autor  original por detrás do grau de Rose + Croix  dentro da Francomaçonaria , tal como é conhecido dentro do Rito Escocês.

Foi um ávido colecionador e arquivista  de distintos ritos e manteve  uma coleção  extensa de material original dos Elus Cohen, ele guardava tesouros mais que qualquer outros: a idade de noventa e dois anos aconselhou seu último estudante, o Barão de Turkhein que transformara o Tratado de Pasqually em sua tarefa de estudo diária e principal.

Estes ensinamentos lhe pertenciam por direito para serem transmitidos já que possuía o grau mais alto dentro da antiga Ordem de Pasqually e por tanto Willermoz em seu bem conhecido luminoso e inspirado estilo, reformou estes ensinamentos em um formato adequado dentro da tradição da Cavalaria cujos objetivos eram a aplicação prática do Martinismo na sociedade humana.

O C.’.B.’.C.’.S.’. estava originalmente conectado intimamente com o rito Alemão da Ordem Templária, a Estrita Observância do Barão von Hund, onde Willermoz se lhe deu o direito de reformar os graus para que contivesse os ensinamentos de seu próprio mestre.

Dado que a O.’.R.’.C.’. é uma Ordem Martinista, nós praticamos um ramo reformado do C.’.B.’.C.’.S.’., baseado nas linhagens e ensinamentos diretos de nossos predecessores.

A O.’.R.’.C.’.  – C.’.B.’.C.’.S.’. reformada são, em consequência, absolutamente independente da Tradição Maçônica ou de qualquer Obediência que utilize estes graus de Cavalaria ou afilhações.

A Ordem tem um total de sete graus de trabalho e um grau administrativo. Estes estão divididos dentro das três classes independentes.

A Ordem esta aberta tanto a homens como a mulheres de boa situação, de pelo menos 24 anos de idade, com rituais iniciáticos distintos para os Cavaleiros e as Damas.

Os ensinamentos Martinistas Secretos  antigamente mantinham dentro da classe de “Professo”, e o sétimo e  primeiro grau da antiga Classe Secreta, são desenvolvidos na atualidade dentro da ORC, dentro de cada aspecto e grau do Ramo do C.’.B.’.C.’.S.’.. Isto assegura que a doutrina Martinista prevaleça em cada aspecto e substitui qualquer outra linguagem simbólica, possibilitando que o rito se destaque como uma pura via de Cavalaria Martinista para a Reintegração, apresentada com as palavras e direção do legado de Willermoz.

Para mais informações sobre o C.’.B.’.C.’.S.’. por favor leia as seções “História” e “Filiação”.

 

FILIAÇÃO

A filiação dentro da ORC:CBCS esta aberta para aqueles que alcançaram o segundo grau de Iniciado, dentro de nossa Ordem, e que haja passado por uma avaliação efetuada pelos membros mais antigos.

Qualquer candidato que busque a iniciação deve sentir-se atraído pelo simbolismo e mitos Cristãos e buscar seu desenvolvimento moral dentro do marco da Fé Cristã.

Cada candidato deve ter dois patrocinadores, que examinaram em conhecimento e a capacidade do candidato antes que a solicitação formal possa ter lugar.

O C.’.B.’.C.’.S.’. esta ativo atualmente na Noruega, Suécia e Argentina.